\\ Pesquise no Blog

sábado, 17 de agosto de 2013

9 | Quando ele a despiu.

ELE Nós sabíamos aproveitar o tempo... Eu tinha pedido para te ver, assim que fiquei sabendo que... Bem, que íamos nos conhecer... Me lembro desse dia, o primeiro encontro, esses seus olhos, tão incrivelmente perscrutadores e tão belos sempre... Perguntei seu nome, você disse alguma coisa como Carlomagna, comecei a rir, você riu, acabamos rindo os dois por um bom tempo, não tínhamos nos falado, mas em compensação o riso dos dois foi nosso primeiro selo de encontro.
Você deixou de rir e me olhou, acho que me disse não é necessário, te perguntei não é necessário? Você disse que não é, eu te disse necessário o quê Você disse não é, pedi que falasse claro que eu começava a me irritar, você disse que não tinha culpa se eu não entendia, que você falava pouco, que ia falar muito pouco e que não se sentia responsável pelo que eu não fora capaz de compreender, que eu não compreendia que te dissera nada, respondeu, incrível, disse, eu você é incrível e comecei a rir a gargalhadas
você me feriu no orgulho
você me feriu no orgulho
não sabia se estávamos brincando nossa primeira brincadeira, não sabia se os dois participávamos do mesmo jogo, como eu te sabia inteligente, suspeitava que você jogasse o jogo sozinho e que eu fizesse o papel de imbecil, rindo sozinho. Parece que você disse que eu estava nervoso ou alguma coisa assim, havia uma precisão em suas palavras, quer dizer, o que você falava era muito exato.
Se falava sobre suas contestações, sobre suas respostas rápidas e lúcidas...
te confesso que estava prevenido, tinha me dito que o importante para estabelecer qualquer tipo de conversação com você era não te olhar nos olhos, que eu falasse sem olhar para você
porque se o fizesse ia cair na sua rede, entende?
Suas pouquíssimas palavras, a necessidade de não ter que explicar nada
Seus Silêncios nos momentos mais difíceis, que poderiam aludir a tantas coisas...
suas saídas insólitas que aprofundavam ainda mais o mistério de nossa existência

[...]

ELA Não quer um copo de água? Não tem sede?
Paramos aqui ou continuamos?
Você está cansado.
Recomeçamos ou paramos por aqui?
É que um trabalho tão intenso deveria às vezes levar em conta a fadiga física.

Mais um pouco de água? Quanto faz que você não come?

Nenhum comentário: